NY – Turismo básico – Parte 2

Continuando a programação de passeio em NY. Um dos pontos que sempre considero importantes da viagem, é o local para hospedar-se.

Claro que as regiões sempre terão seus defensores e inúmeras razões por suas escolhas. Comigo não poderia ser diferente, em uma dezena das vezes que estive em NY fiquei na região do Times Square e de preferência exatamente no meio do burburinho.

Explico minhas razões de escolha:

- Região ótima para circular a pé independente de horário

- Inúmera quantidade de hotéis com custos variados

- Proximidade das estações de metro

- Opções de restaurantes e lojas

- Shows da Broadway a poucos passos

Times Square cedinho ainda calmo (2012)
Times Square em fevereiro 2013 ainda nevando

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Adoro esta região e não troco muito fácil. Vale lembrar que a hospedagem em NY é cara. Os quartos de hotéis mais novos ou boutiques são pequenos, já os de hotéis mais tradicionais ou antigos podem ser maiores mas confira no TripAdvisor os comentários para não ficar em nada muito velho.

 

Vista do quarto do DoubleTree Suites by Hilton - Times Square
Vista do quarto do DoubleTree Suites by Hilton – Times Square

 

Se já souber que show quer assistir, compre já enquanto programa sua viagem. Eu sempre uso o Ticketmaster e é ótimo.  Se ainda não souber o que ver dê uma pesquisada no site deles, pode ter algum show legal ou basquete dos Knicks no Madison Square Garden.  Se tiver algum jogo de basquete dos Knicks não perca a oportunidade, é muito legal!

Jogo dos Knicks x Miami Heat no Madison Square Garden
Jogo dos Knicks x Miami Heat no Madison Square Garden

 

Cada estação favorece diferentes tipos de passeios, passear no Central Park sempre é lindo, seja para ver a neve ou curtir um dia de calor. Mas quem estiver em NY nos meses mais quentinhos tente aproveitar para visitar o Zoo do Central Park. Não é gigantesco, mas é muito bonito. Tem pinguins, leões marinhos, macacos, urso polar…e o setor das aves é maravilhoso! É um passeio ótimo para qualquer idade.

 

b77be2b2d3239639e2037944d379944e_1_foto DSC00468

 

Como se locomover em Manhattan vai depender das distâncias a serem percorridas. Andar de táxi em NY não é o mais fácil ou ligeiro. Sempre há bastante congestionamento, então sempre que der ande a pé ou de metrô. Nas recepções dos hotéis sempre tem o mapinha da cidade e do metro, não é difícil de se virar. Basta prestar atenção para entrar na estação pelo lado certo da rua (tem entradas nos dois lados da rua, uma sempre em sentido uptown outra downtown). Nós sempre compramos o MetroCard e vamos recarregando, tem nas máquinas automáticas nas estações.

Atualmente com os smartphones fica fácil fazer os roteiros antes de sair do hotel. Na hora do aperto se estiver na rua e a internet do Brasil lenta, lembre de entrar em uma loja de departamentos, sempre tem Wifi. ;)

 

NY – Turismo básico – Parte 1

Então, fiquei pensando em como escrever e por onde começar, afinal parece que não sobra muita novidade sobre um destino assim popular. Com certeza muitas coisas podem soar repetitivas e são informações até fáceis de encontrar em muitos lugares, mas se alguma das dicas, algum pedacinho de comentário ajudar, tarefa cumprida! Então acompanhem o primeiro capítulo da fascinante Big Apple.

Seja a primeira visita ou mais uma de muitas, Nova Iorque é o tipo de cidade em que nunca se viu tudo (ou quase tudo). Sempre tem um lugar lindo para visitar, restaurantes para experimentar, muito para comprar, bares, shows… e mesmo que a gente decida  voltar a algum dos lugares já visitados é sempre possível que se encontre alguma parte não percebida na primeira visita…

Rockefeller Center 1992
Rockefeller Center 2013

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A primeira vez que estive em NY foi em 1992 e fico feliz em ter oportunidade de passar por lá muito frequentemente. Na época eu tinha 14 anos, então meus interesses ainda eram de uma menina, e sonhava com o que se via em revistas (tô antiga, nesta época nada de internet). As maiores curiosidades eram a Estátua da Liberdade, o Empire State e na época ainda havia as Torres Gêmeas, com sua linda vista 360 graus da cidade. Mesmo com o passar destes anos ainda acho que são os pontos de partida de uma visita inaugural.

Imagens de meu álbum com o ticket de entrada para visita ao World Trade Center em 21-12-1992

Para fazer esta parte dos pontos turísticos eu sugiro os tours do tipo Hop-On Hop-Off. Tive oportunidade de fazer um tour com a Gray Line redescobrindo alguns destinos na primeira visita do meu marido a NY. Existem vários tipos de rotas e tickets para mais de um dia. São ônibus double decker, daqueles que tem a área superior aberta,e as pessoas podem descer nos pontos que interessar e depois seguir com outro ônibus deles.

Nós havíamos comprado os tickets do tour pela internet, mas dá mais trabalho ir até a central deles trocar este vale pelo ticket real do que comprar diretamente num dos pontos do ônibus. Em todas as paradas deles são vendidos os tours. Dependendo da época do ano ainda vale comprar a entrada de lugares como o Empire State para evitar muita fila e perder preciosas horas do passeio, nós compramos diretamente da internet, mas novamente há como comprar com o próprio tour ou no local. Dependendo do que se quer visitar tem um ticket que chama-se CityPass, ele dá direito a visitar  6 atrações.

Vista do andar 102 do Empire State -Central Park ao fundo (2012)
Vista do andar 102 do Empire State -Central Park ao fundo (2012)
Mirantes do Empire State
Mirantes do Empire State

 

Um dos destinos que necessita uma reservinha maior de tempo é a visita à Estátua da Liberdade. Caso a pessoa queira atravessar de ferry até a Estátua e passear pela ilha ou entrar no monumento. Para entrar e acessar diferentes partes da estátua é bom comprar o ticket antecipado porque as filas são grandes e o acesso à coroa da estátua é limitado.Entre aqui para comprar tickets.

Estátua da Liberdade 1992
Estátua da Liberdade 1992

 

Nem sempre se consegue tempo suficiente para conhecer tudo na primeira visita, mas isso é que é bom, assim sempre temos a desculpa perfeita pra voltar …

 

Londres para todos os gostos

Como sempre falar de comidas e restaurantes de grandes cidades não é nada fácil… Pelo tanto de opções peneirar algumas para escrever parece até injusto, mas é impossível não compartilhar tantas comidas gostosas!
Começando pelos tradicionais fish and chips. Prato típico, encontrado desde as versões mais populares até as mais elaboradas,  mas sempre com a certeza de peixes saborosos e enormes porções.  Nosso primeiro não podia deixar de ser mais característico, fomos a um dos mais antigos e famosos endereços de Fish and Chips de Londres, que fica em Covent Garden é o Rock and Sole Plaice (isso mesmo com “i”). Eles servem deliciosos tipos de fish and chips desde 1871! Só para decidir o tipo de peixe já é um desafio. Nós escolhemos o rockfish. Realmente muito saboroso vem acompanhado de fritas (pode-se escolher outros acompanhamentos) e um tipo de molho tártaro. O lugar é lindo, agradável e comida ótima!

Rockfish
Rockfish
Peixaria do Rock and Sole
Peixaria do Rock and Sole

 

Outra tradição são os Pubs. E estes sim são capítulos a parte. A cada volta na cidade avistamos um mais charmoso que o outro. Ao final do dia todos, sem exceção, ficam lotados. As pessoas se acumulam nas calçadas ao redor deles. Mas mesmo para quem não é muito de agitos, pode e deve conhecer um pub. Como a grande maioria abre pelas 11 da manhã fica bem confortável fazer um almoço em um deles. Sim, almoçar! Eu também tinha lá minhas dúvidas se nos pubs eu não teria só petisquinhos e bebidas, quem me conhece sabe que sou boa de garfo, e após procurar algumas informações (até no foursquare), vi que os cardápios valiam a experiência.

Nosso eleito foi o The Sherlock Holmes, que ficava bem pertinho do nosso hotel. O pub é muito bonitinho e já agrada visto de fora. Ele foi construído nos anos 50 para uma mostra de Sherlock Holmes, e mantém uma parte intacta ainda hoje no andar superior, onde também há um espaço só para o restaurante em si, seu bar fica no térreo.  Nós escolhemos almoçar ali mesmo no térreo. Os pratos são enormes, mas como queríamos provar coisas diferentes fomos em frente.

Sherlock Holmes Pub
Sherlock Holmes Pub

O Julian escolheu provar mais um Fish and Chips, que desta vez veio acompanhado de purê de ervilhas, fantástico. O peixe frito bem sequinho e saborosíssimo. Eu queria algo que viesse com o Yorkshire pudding, como já tinha visto em alguns programas de tv e nunca havia provado estava curiosa. Escolhi o Sausage & Mashed Potato, que por um extra vinha acompanhado do pudding que vem formando uma espécie de forminha, coberto com um molho grosso de carne, purê de batatas, cebolas (opcionais) e 3 salsichas da casa. Parece impossível de dar certo, mas a mistura ficou excelente, e pasmem, não é uma comida daquelas de se sentir pesado! Bom, este prato não é o mais fotogênico, mas com certeza uma mistura maravilhosa.

Fish and chips
Fish and chips
Sausage & Yorkshire Pudding

 

Por último, mas com certeza não menos importantes, são as opções para quem quer uma comida tradicional de outras nacionalidades. Adoramos os deliciosos restaurantes chineses da região do Soho. Ali é só olhar alguns cardápios a frente deles para se render aos dumplings, patos laqueados, e pork belly.E além de tudo a comida é baratíssima.

Os restaurantes do Jamie Oliver são outro exemplo da variedade da gastronomia local, só em Londres ele tem 6 restaurantes diferentes, para todos os gostos. Meu favorito foi o Jame’s Italian. O ambiente é moderno e aconchegante. O cardápio é variado com ótimas opções da culinária tradicional com os ajustes do chef. De todos os pratos que provamos meu favorito foi a minha entrada, Backed Chestnut Mushrooms, suave, saboroso e diferente de tudo que experimentei. A entrada do Julian foi o Arancini Margherita, uma versão  muito gostosa do arancini servido com molho arrabiata. Os pratos principais foram o Meatball Reginette e o Jamie’s Italian Signature Porchetta. Também muito bons.

Backed Chestnut Mushrooms
Backed Chestnut Mushrooms
Porchetta acima, Arancini(esquerda),Reginette(direita)

 

Deu para perceber que fazer dieta em Londres é tarefa impossível… mas vale muito a pena!

 

Brasserie Lipp Paris

Paris com certeza é mais um daqueles destinos difíceis de escrever. Afinal opções de excelentes comidas não faltam. Então não tenho a presunção de sozinha explorar todas estas pérolas, mas sim mostrar nossas melhores experiências (também vai ser difícil alguém me ver comentando sobre experiências não tão boas, porque prefiro deixar o benefício da dúvida aos locais, posso ter tido azar ou ser só diferente de minha expectativa).

Um dos principais restaurantes que já havíamos lido muito e sempre diziam ser imperdível, é a Brasserie Lipp. Um restaurante tradicional, que desde 1880 se mantém muito fiel ao seu cardápio, decoração e inclusive ao fato de só empregarem garçons homens! A decoração é simples e o serviço é rapido e bem profissional, mas sem muitos sorrisinhos.

IMG_2179A comida traz pratos tradicionais bem famosos e dá vontade de provar vários. Para as entradas escolhemos os deliciosos Escargots de Bourgogne,  e Steak Tartare, que era finalizado próximo a mesa, saborosíssimo e levemente picante, acompanhado de fritas.

Escargots
Steak Tartare
Steak Tartare

 

Os pratos principais foram Confit de Canard que veio acompanha do de batatas assadas e o meu prato foi Pied de Porc Farci Grillee com purê de batatas. Eu simplesmente adorei o pé de porco, é muito saboroso e o tempero suave.

Confit de Canard
Confit de Canard
Pied de Porc
Pied de Porc

 

Mas um dos detalhes importantes é guardar um espacinho para as sobremesas. A Ille Flottante, que é um pudim de claras sobre uma calda de baunilha e com uma crosta de caramelo e a Mille Feuille, torta mil folhas com creme de baunilha, difícil escolher uma delas…Memoráveis!

Ille Flottante
Ille Flottante
Mille Feuille
Mille Feuille

 

Nossas escolhas foram muito boas, claro que um exagero, mas não podíamos deixar de experimentar um pouquinho de tudo. E valeu a pena. Para nós, experiência aprovadíssima!!

 

Brasserie Lipp – 151 Boulevard Saint-Germain, Paris

 

Gastronomia Zurique

Zurique além de uma cidade belíssima reserva ótimas compras e gastronomia fantástica. Claro que é difícil descrever tantas opções em algumas palavras, mas reservei aqui algumas de nossas melhores experiências.

As confeitarias Sprüngli são de se apaixonar. Com seus belíssimos marzipan e os luxemburgerli (um tipo de macarron) encantam com suas vitrines sempre coloridas.  Além de poder comprar os docinhos, vários endereços na cidade tem salão de café anexo.

Marzipan
Luxemburgerli

 

O restaurante Zeughauskeller tem uma das comidas típicas mais deliciosas. O casarão histórico de 1487 que antigamente abrigava um armazém de armas, fica na região central de Zurique, na Bahnhofstrasse. A comida local lembra muito a comida alemã, no cardápio muitos tipos de salsichas, linguiças, vitela e claro porco. Eu adorei o Geschnetzeltes nach Zürcher Art, que é carne de vitela cortada em tirinhas, com molho a base de vinho branco e cogumelos acompanhada de uma deliciosa batata rösti. ë uma delícia, lembra nosso estrogonofe, só que mais suave. O Julian adorou o pernil de porco marinado na cerveja preta. O lugar é bonito e a comida deliciosa, imperdível.

IMG_2603 IMG_2607

Meu favorito
Belíssima prataria da casa
Belíssima prataria da casa
Pernil de porco
Pernil de porco

Bom, é difícil ter que escolher por algum destes, mas acho que se fosse possível recomendar um único lugar, seria o Swiss Chuchi, para provar o tradicional raclette. O lugar é muito aconchegante, bem típico, fica anexo ao Hotel Adler. As especialidades do cardápio deles são os raclettes e fondues de queijo. Nós somos fãs de raclette e o deles é mais do que fantástico!

IMG_2641A comida de Zurique é deliciosa e muito diversificada, complementa perfeitamente qualquer passagem curta ou estadia prolongada na cidade. Com o friozinho local fica ainda mais difícil de resistir a tantas tentações, então minha dica é aproveitar as comidinhas e queimar as calorias batendo pernas nas maravilhosas lojas de departamentos ;) .