Belíssima Gullfoss ou Golden Falls

Golden Circle

O tour que escolhemos foi da Grayline e durou em torno de 6,5 -7 horas e nos levou ao Golden Circle (região com as mais famosas atrações). Gostamos muito do tour, normalmente não somos muito de passeios em grupo por medo do tempo que podemos perder ou sentir falta em alguns locais, mas para a região, época do ano e nosso tempo achei perfeito.

panorama

1- Þingvellir National Park

Nesta primeira parte do passeio visitamos este parque nacional que é enorme e é patrimônio da Unesco.  Claro que não caminhamos por todas as áreas devido ao tamanho dele e a neve. Mas para qualquer lado que caminhe ou olhe é lindo!

O parque abriga inúmeras áreas importantes como o mais antigo parlamento, criado em 930, as placas tectônicas separando as Américas da Europa, áreas vulcânicas e cenários cinematográficos.

2- Gullfoss waterfall

Também conhecida como Golden falls. É uma imensa cachoeira localizada em um canyon, as suas águas vem de um lago glacial!!! Toda esta excentricidade ao poderia resultar em algo menos grandioso do que podemos ver. Estonteante! Sabe aqueles lugares em que não paramos de bater fotos? E todas elas parecem sair de um filme ou quadro perfeito… apaixonante.

 

3- Geysir geothermal area

A área onde ficam os Geysers está bem acima do nível do mar,  mais de 100m, então o caminho até lá é muito bonito, áreas ainda menos habitadas e claro, muita neve.

O famoso Geysir já não entra em atividade tão fácil. Porém seus semelhantes como o Strokkur hoje em dia é o mais famoso em atividade constante. Ele expele seu jato quentíssimo de água aproximadamente a cada 3 minutos e mesmo sabendo o que estamos esperando sempre provoca suspiros.

No caminho da volta pudemos finalmente apreciar a tão esperada aurora boreal, ou northern lights! E ainda bem que nosso guia foi muito legal em logo parar e nos deixar usufruir, já que depois mais perto da cidade é quase impossível de vê-la por causa das luzes, sem contar que naquela noite nevou muito, então não teríamos outra oportunidade.

Nossa foto não ficou o máximo, até porque é preciso algum tipo de lente especial para fotografá-la. E as luzes são dançantes, espetáculo difícil de registrar… mas ao vivo posso dizer que vale muito!!! E por fim em alguns momentos o melhor é registrar em nossa mente mesmo, para poder quardar estas imagens em um cantinho especial no coração…

Um pouquinho da aurora boreal
Um pouquinho da aurora boreal

Claro que há muito mais para se ver na região, mas como tínhamos que selecionar algumas atividades fiquei feliz com nossas escolhas. Adoramos o passeio e saímos realizados com todas as paradas e visitas. Recomendo o tour e quem tiver mais tempo ainda tem inúmeros outros passeios para as outras regiões menos populares,mas ainda assim deslumbrantes.

Com certeza se passássemos mais dias ou em uma próxima visita também conheceria os lados menos turísticos.

Blue Lagoon 2

Islândia – terra do fogo e gelo

Decidimos fixar nossa base na capital, Reykjavík. E de lá conhecer alguns pontos importantes (nem perto da maioria porque tem muito para se ver).

Compramos um vôo de Londres para Keflavík , que é o aeroporto internacional mais próximo da capital, cerca de 40 minutos . Já na aproximação percebemos o que nos aguardava: neve, muita neve por todos os lados…

Vista aérea
Vista aérea

Na chegada ao aeroporto contratamos um táxi ( há bastante ônibus transfer mas queríamos algo com horários mais do nosso jeito) que nos levou dali direto a Blue Lagoon e depois ao nosso hotel.

Esta parada já na chegada parece exótica, mas é o que s maioria das pessoas fazem, param lá na chegada ou volta para o aeroporto para aproveitar as distâncias. E como também não queríamos ficar só no vai e volta de ônibus ou taxi , optamos também por esta ordem.

Olha, não tem sofrimento nem trabalho algum em chegar lá direto com malas. Nós deixamos com nosso taxista Jón (pronúncia “ion”), mas a estrutura do local tem até guardador de malas. E oferece pacotes diferentes com toalhas, roupões, chinelos, etc.
O lugar é indescritível, pouco conseguimos mostrar com as fotos. Realmente faz jus a ser uma das 25 maravilhas do mundo. As águas são realmente azuis, o vapor é devido a diferença entre a água a 38ºC-40ºC e a temperatura externa -10ºC! E nevando!!! O fundo e as regiões ao redor com as pedras negras são o solo vulcânico ( esta mistura entre neve e solo vulcânico vista em todos os lugares é que traz o codinome do país, terra do fogo e gelo).


Assim que abrimos a porta da estrutura e avistamos estas águas quentinhas o frio quase se vai (digo quase porque só correndo para água mesmo para ficar tranquilos). Ali na água ainda fizemos uma mascara de tratamento facial de algas para rejuvenescimento, uma delícia. Difícil mesmo é criar coragem e vontade de sair da água!

 


Dali fomos a nosso hotel no centro de Reykjavík, a capital, que por sinal é a capital mais ao norte do mundo! Aproveitamos para passear pela cidade. A cidade é muito bonita e de fácil locomoção mesmo com a neve.

 

Passeamos pelo centro da cidade e visitamos a igreja luterana Hallgrímskirkja, a mais alta da islândia.

 

De lá de cima a vista da cidade é belíssima!


Os outros pontos turísticos, como eram uma pouco mais distantes, escolhemos conhecer com um tour. Assim poderíamos aproveitar melhor o tempo. Leia mais no próximo post, vale a pena ;)

 

Linda Vista da Blue Lagoon

Islândia – o começo de um sonho

Bom, acho que a primeira pergunta que sempre vem à cabeça é : Islândia? Por quê?

Tenho uma lista de destinos que quero conhecer, dos mais tradicionais até alguns meio exóticos… Mas todos por razões muitas vezes parecidas, conhecer cenários de encher os olhos, seja pela beleza natural , histórica ou modernidade. E tenho sorte que meu marido, meu melhor companheiro de viagem que poderia ter escolhido, começou a compartilhar destes gostos. Não temos pressa e nem seqüências lógicas para conhecer tais destinos, a medida que podemos sair viajar, e os roteiros se encaixarem vou matando minhas curiosidades.

A parte que talvez sempre me deixou um pouco intrigada com a Islândia foram os extremos. Como pode ser um local onde na maioria do verão o sol quase não se põe e na maioria do inverno justamente o contrário? Um lugar com a população do pais todo menor do que minha cidade, e mesmo assim muito mais evoluído? Um lugar conhecido por suas maravilhas congeladas e ao mesmo tempo tantos vulcões? Ai você assiste a algum programa de tv ou vê fotos em revistas e os cenários são deslumbrantes tanto quando os campos estão verdes quanto branquinhos. E a cada dado novo que você lê tem certeza que é um lugar para se amar!

Aí que a oportunidade apareceu! Visitar a Islândia no inverno (época com a chance de ver a sonhada Aurora boreal).

Nossa viagem incluiu mais destinos já que chegamos por Londres, de lá fomos a Reykjavík e depois a Berlim a um congresso médico. Então nosso tempo foi todo bem dividido para tirarmos o máximo de cada situação.E claro que o primeiro lugar que vou mostrar vai ser o mais inusitado, a Islândia, ou Iceland.

Então muitos podem achar que para mim já estava fácil de gostar do lugar não é?! Afinal já fui para lá encantada com tudo. Errado, acho que quando a expectativa é tão grande quanto a que eu criei as vezes o mais fácil era a decepção. Mas não vou conseguir fazer suspense não, o lugar é tudo que esperava! Nota 1.000 do começo ao fim!
Então acompanhe um pouquinho dos nossos passeios por lá e veja por você mesmo!

Belíssima Gullfoss ou Golden Falls
Belíssima Gullfoss ou Golden Falls

 

Blue Lagoon
Blue Lagoon

 

Þingvellir National Park
Þingvellir National Park

 

PS: As imagens são todas nossas e sem filtros.

Logo logo novidades!!!

Oi pessoal!

Desculpem a demora para atualizar as viagens! Mas este ano começou bem agitadinho e quase emendamos uma viagem em outra! Então estou escrevendo algumas coisinhas e logo compartilho por aqui!

Mas já posso adiantar que os destinos são muito legais e vem cheios de fotos para mostrar um pouquinho mais do que vimos.

Bjnhs a todos e até logo !!!