Arquivo da categoria: De tudo um pouco

DCIM100GOPRO

Ilhas Maurício

Acho que vale contar alguns fatos e dados gerais das Ilhas Maurício antes mesmo de mostrar como foi nossa viagem.

 

Vista na chegada
Vista na chegada

A começar pelo nome: Maurícia, Maurício, República de Maurício ou República da Maurícia.

O país é conhecido com “a pérola do Oceano Índico” . O país tem uma imagem aérea  isolada no meio das águas azuis turquesa, que mudam de tom no contorno do litoral.

Para chegar a ilha existem vários pontos de partida por vários países, mas o que possui mais vôos e praticidade é chegar pela África. Nós fomos de São Paulo à Johannesburg  com a South African, vôo direto de mais ou menos 9 horas. Passeamos por lá e de Johannesburg até Ilhas Maurício com a Air Mauritius, um vôo de aproximadamente 5 horas.

 

A colonização sofreu influências francesa e inglesa. Tanto que ainda temos os carros dirigindo como na Inglaterra… As línguas principais são o francês e inglês e entre a população muito crioulo de Maurício.

 

IMG_7125

A população tem muitos indianos, bem como europeus e africanos. A moeda chama-se Rúpia Mauriciana e estava na proporção de 1 Rs (rúpia mauriciana)= R$0,09 quando fomos.  A renda vem  principalmente do açúcar, seguida pela exportação de chá, indústria têxtil e pelo turismo. Mas vemos ainda muitas produções como a de baunilha e Rum.

Baunilhas no passeio
Baunilhas no passeio

A capital chama-se Port Louis e fica na parte norte da ilha.  Sendo que a capital é uma cidade grande como em qualquer país, com universidade, bancos, shoppings.. além de abrigar o porto.

Mercado municipal lindo
Mercado municipal lindo

O clima local é tropical e o país é banhado pelo Oceano Índico, mas protegido pela terceira maior barreira de corais do mundo. O que faz com que a beleza marinha seja inédita e preservada. E o melhor é que você nem precisa ser um mergulhador para apreciar estas belezas!

 

By  Julian Knaesel
By Julian Knaesel
Foto do Julian Knaesel do fundo do mar
Foto do Julian Knaesel do fundo do mar

 

Para completar este cenário paradisíaco, com certeza a escolha do hotel faz uma grande diferença. Não foi a parte mais simples da viagem decidir onde ficar, a começar porque tínhamos que escolher o lado da ilha onde gostaríamos de nos hospedar.

Por fim fomos seduzidos pela paisagem inicial que me fazia sonhar com o país e escolhemos a parte mais ao sul, Bel Ombre! Ah, que região !!!Nós escolhemos o Outrigger Mauritius, um resort com rede de hotéis, que possui propriedades no Hawaii, Puhket,etc.

Vista da nossa sacada
Vista da nossa sacada

Não há o que dizer sobre o cenário dali que faça jus a beleza verdadeira… Então melhor dar uma olhadinha nas fotos do próximo post! leia mais

 

Praia no hotel
Praia no hotel

 

 

Calçadão da Villa Comunale

Sorrento

Nosso útimo destino antes de voltar foi Sorrento.

A cidade já possui um porte maior, com mais opções na área comercial e em toda estrutura. Mesmo assim ela não perde seu charme.

Nós ficamos hospedados bem na região central, próximo à Piazza Tasso. Dali fizemos tudo a pé. Esta é uma escolha bem pessoal,pois se a pessoa quiser ficar como base em Sorrento indicaria um hotel mais na beira do penhasco, região da Marina. Como a cidade é uma cidade alta, uma das cidades-penhasco da região, há muitos hotéis que ficam nestas encostas altas, o que torna difícil sair a pé até a região central.

Piazza Tasso
Piazza Tasso

 

O centro da cidade possui bastante lojinhas desde as tradicionais com roupas e acessórios até as de artesanatos e produtos locais, sendo a mais movimentada a Corso Italia. Sem contar os restaurantes… Come-se muito bem! Por sinal não perca a oportunidade d provar o prato típico de lá, o Gnocchi alla sorrentina!

Gnocchi alla sorrentina que comi no In Bufalito
Gnocchi alla sorrentina que comi no In Bufalito

A Villa Comunale é uma espécie de calçadão que margeia o penhasco em que a cidade está incrustada.  Ao longo dela todos param para admirar e fotografar as lindas vistas do mar e de Nápoles e do Vesuvio.

Calçadão da Villa Comunale
Calçadão da Villa Comunale

A partir da Villa Comunale há uma escadaria que acessa a Marina Piccola e a praia. Nós chegamos a descer para curtir a vista, mas a volta fizemos pelo elevador. Isto mesmo, há um elevador que liga estas extremidades. Ele é pago e pode-se pagar por viagem e há outras opções de cartões com mais viagens para quem fica hospedado na região e tem que usar mais vezes o serviço.

Bom, a praia não é bem praia por lá… São minúsculos espaços de cascalho com acesso à água. E há também as decks de madeira que são de beach clubs ou hotéis que colocam espreguiçadeiras e fazem o serviço de praia.

Marina Piccola
Marina Piccola

Mas com certeza à vista da cidade é o ponto alto. De onde você quiser tirar uma foto ou simplesmente curtir a vista, é sempre de tirar o fôlego.

 

Vista da Marina Piccola caminhando pela Villa Comunale
Vista da Marina Piccola caminhando pela Villa Comunale

image

Vista da ilha

Capri e Anacapri

Nós decidimos conhecer um pouquinho de Capri a partir de Positano. Pegamos um ferry no início de uma manhã e após 30 minutos estávamos chegando a ilha.

Vistas do Passeio ao reor da Ilha de Capri
Vistas do Passeio ao reor da Ilha de Capri

Há dois ferrys que fazem este trajeto, um que dura mais ou menos 30 minutos e outro 50 minutos. Os dois chegam na Marina Grande e de lá quem deseja conhecer a Gruta Azul já deve se agilizar e logo escolher seu meio de transporte, que se forem os barcos, já pode-se comprar o ticket logo ali no desembarque e partir a seguir. Foi o que fizemos (leia no próximo post detalhes da Gruta Azul)

Vista da Marina Grande de dentro do funicular

Vista da Marina Grande de dentro do funicular

Ao retornar para a Marina Grande fomos conhecer as cidades de Capri e Anacapri, que é como a ilha é dividida. Sendo Anacapri a parte mais alta da ilha, um pouco menos badalada e mais tranquila. Capri ao contrário já é conhecida por suas lojas de grife e resorts luxuosos, estando sempre entre os locais da moda de veraneio dos mais populares.

Vista da Ilha a caminho de Anacapri
Vista da Ilha a caminho de Anacapri

A primeira parte do caminho é feita pegando um Funicular, uma espécie de bondinho que leva da Marina Grande até a parte elevada em Capri, específicamente chegando na Piazzetta. O caminho demora uns 15 minutos e a fila anda bem depressa. Custa 1,80 euros cada bilhete.

image
Entrada do funicular
Vista de dentro do funicular
Vista de dentro do funicular

Dali pode-se pegar os ônibus ou carros tipo táxi para chegar até Anacapri. Os ônibus são bem engraçados, são estreitos como se fossem recortados ao meio, próprios para poder andar um pouco mais fácil pelas estreitas e tortuosas estradas. Os ônibus fazem bastante fila por serem pequenos e também custam 1,80 euros o bilhete por trecho.

ônibus para chegar a Anacapri
ônibus para chegar a Anacapri
Carros conversíveis adaptados fazem serviço de táxi
Carros conversíveis adaptados fazem serviço de táxi
Vista da ilha de dentro do ônibus
Vista da ilha de dentro do ônibus

Em Anacapri há um pequeno trajeto histórico que pode ser feito a pé em pouco tempo. é super agradável caminhar por suas ruas e pequenas vendas.

image

As mercearias são um sonho
As mercearias são um sonho

Já em Capri o passeio é bem mais movimentado… a Piazzetta está sempre cheia e tem ótimos bares e restaurantes.

A Via Camerelle é a rua das grifes e uma área muito gostosa de passear.

Passeando pelas lojas em Capri

Passeando pelas lojas em Capri

Almoçamos com uma linda vista em um pequeno restaurante próximo à Piazzetta, chamado Ristorante Longano. Com deliciosas massas tradicionais e um belo forno a lenha.

Janela do Restaurante
Janela do Restaurante
Meu tradicional Spaghetti alla Carbonara
Meu tradicional Spaghetti alla Carbonara
Spaghetti Aglio Olio e Peperoncino que o Julian amou!
Spaghetti Aglio Olio e Peperoncino que o Julian amou!

Vista da ilha

Vista da ilha
Vista da ilha

Definitivamente tem muito o que se ver por lá e vale passar mais dias. Mas se puder ao menos conhecer um pouquinho para matar a curiosidade (como nós) vale muito a pena.

 

Nossa vista da varanda a noite!

Positano

Positano foi nossa escolha para fixar nossa base na Costa Amalfi.

Vista de Positano do mar
Vista de Positano do mar

Várias razões nos fizeram optar por lá, mas o fator decisivo foi porque sou apaixonada pelas casinhas coloridas na encosta do penhasco!

img_3782

Acho que logo que pensamos em Positano vem algumas imagens como as casinhas e os limões sicilianos… e esta imagem é ainda mais perfeita ao vivo. Os limões perfumam a cidade e enfeitam cada cantinho.

Limões sicilianos são até decorativos
Limões sicilianos são até decorativos

Passear por suas vielas íngremes que levam a beira-mar já é por si só um programa. Cheio de lojinhas com artesanatos, roupas, cerâmica e claro muita comida!

Caminho até a praia
Caminho até a praia

Algumas das delícias do nosso caminho:

Algumas delícias do clima quente é  o slush de limão siciliano. Azedinho e refrescante, imperdível!

Carrinho típico encontrado em toda cidade vendendo Slush
Carrinho típico encontrado em toda cidade vendendo Slush

A praia é linda de ver, porém como lá ao invés de areia são pedrinhas, melhor levar um chinelinho …

Água transparente
Água transparente

E à noite, a cidade fica ainda mais encantadora, se é que é possível.

Nossa vista da varanda a noite!

Nossa vista da varanda a noite!

Seja para passear, tomar sol, deliciar-se com a culinária ou simplesmente curtir o “dolce far niente”, Positano é minha escolha número um.

img_3771

 

Mônaco

O Principado de Mônaco é um dos destinos que com certeza fantasiei muito a respeito.

Explico: sempre que ouvi a respeito,  imaginava Grace Kelly em sua beleza clássica, morando em um reino com belos carros esportivos, dirigidos por James Dean à beira de penhascos cinematográficos…E além disso, como sou filha de um apaixonado por carros, adicionei a este sonho de consumo as lindas corridas de fórmula 1 naquele cenário fantástico cheio de curvas exóticas ou túneis por dentro da cidade, sempre emoldurados pelos gigantes iates.

Nós visitando a Marina
Nós visitando a Marina

image

Bom, meu sonho se realizou por meio de meu trabalho.  Este ano meu congresso foi nada mais e nada menos que na cidade de Mônaco !

Fiz minha inscrição um ano antes (exatamente um ano) e mesmo assim quase todos os hotéis já estavam lotados (ou, pré – reservados). Mas como nós tínhamos tempo para programar e também para na época conhecer a região toda, já sabem que nosso ponto de parada inicial foi Nice.

Nós dois no início do Congresso
Nós dois no início do Congresso

De Nice para Mônaco nosso trem demorava em torno de 12 minutos! Então nada de mais  para chegar até lá né?! Aí para ir até o Grimaldi Fórum pegávamos os ônibus de linha que estavam disponíveis aos congressistas.

A estação do trem já é digna de visita e comentários devido a sua rica estrutura encravada em uma rocha. Para chegar às plataformas temos acesso por escadas rolantes e elevadores.

Mas mesmo quem vai sozinho não tem necessidade de ficar na cidade. Dá para conhecer assim como Cannes, Villefranche, Eze… Basta um dia completo para passear pela cidade. Há as opções de touro Hop on hop off, mas como acabamos conhecendo um pouco a pé, e olha que as subidas são bem íngremes.

Vista da Marina
Vista da Marina ao chegar na estação de trem

 

Um dos pontos mais fotografados é o Cassino Monte Carlo. Para entrar na parte do salão de jogos é necessário pagar uma entrada e são proibidas as fotos. Nós pagamos para ver como era. O salão  é muito bonito com belos candelabros, teto com arabescos e pinturas folhadas a ouro. As máquinas e mesas parecem mais um enfeite do local, não há muita gente jogando, só os turistas que entram ali para visitar. As salas de verdade, onde há as grandes apostas fica mais discreta em andares adjacentes. O cassino não é grande como os de Las Vegas, mas por sua imponência histórica e símbolo na região com certeza vale visitar.

Meu sonho de princesa se realizou! Um belo reino a ser visitado com certeza…