Arquivo da categoria: Islândia

snaps mesa

Snaps – Reykjavík

Dentre os locais mais populares de Reykjavík está o Snaps.

Este é um Pub, restaurante com mistura francesa e islandesa.

snaps local

 

O local é muito bonito e agitado, e o atendimento e comida valem a pena.

snaps mesa

Nós não fugimos muito do tradicional, optamos principalmente pela culinária francesa.

Nossas entradas : eu Deviled Eggs deliciosos e o Julian Calamari Fritti

 

IMG_3497.JPGIMG_4233.JPG

 

Como prato principal pedi uma French Onion Soup e o Julian um Boeuf bourguignon.

 

IMG_3501.JPG

IMG_4234.JPG

O lugar é muito bonito e agitado, e a comida deliciosa! Vale a pena investigar se ele ainda será popular na época da sua visita.

image

  CenterHotel Thingholt – Reykjavik

A escolha de nosso hotel em Reykjavik começou procurando hotéis pela proximidade da rua Laugavegur, a rua principal de comércio. Comparando os hotéis e valores pela região chegamos a escolha do CenterHotel Thingholt, ou Þingholt.

O hotel é muito bem localizado. Nas diárias já estão incluídos o café da manhã e o wifi. O nosso quarto que era o deluxe, super espaçoso e novinho. A decoração em preto e branco, bem moderninho.

A tarifa dele também era uma das melhores da região na época. Gostamos do serviço e dos quartos então super recomendamos!

 

 

 

Nós dois

Islândia, nós voltaremos!

Então algumas pessoas me perguntam se gostei de viajar para lá no inverno, se não preferiria ir na época de verão ? Eu amei visitar a Islândia no inverno e poder conhecer um pouquinho dos encantos do lugar! Com certeza o verão também trata outras belezas interessantes e se possível um dia também irei para vê-las.

Mas independente se você decidir ir no inverno ou verão, ou se mesmo no inverno o clima vai colaborar para ver a aurora boreal, sempre há muito o que ver: os geysers, as fontes geotermais, os vulcões, as cachoeiras como a linda Gulllfoss, a divisão das placas tectônicas separando Europa e América, os lindos cavalos islandeses, os puffins (que não conseguimos ver :( ), o mais antigo parlamento … Ou simplesmente admirar as áreas tranquilas e ainda pouco habitadas ( mas muito evoluídas e cuidadas)

Quer uma dica ? Não perca a oportunidade, Não programe demais, não é um bicho de sete cabeças, simplesmente vá e aproveite!!!

Nós dois

Belíssima Gullfoss ou Golden Falls

Golden Circle

O tour que escolhemos foi da Grayline e durou em torno de 6,5 -7 horas e nos levou ao Golden Circle (região com as mais famosas atrações). Gostamos muito do tour, normalmente não somos muito de passeios em grupo por medo do tempo que podemos perder ou sentir falta em alguns locais, mas para a região, época do ano e nosso tempo achei perfeito.

panorama

1- Þingvellir National Park

Nesta primeira parte do passeio visitamos este parque nacional que é enorme e é patrimônio da Unesco.  Claro que não caminhamos por todas as áreas devido ao tamanho dele e a neve. Mas para qualquer lado que caminhe ou olhe é lindo!

O parque abriga inúmeras áreas importantes como o mais antigo parlamento, criado em 930, as placas tectônicas separando as Américas da Europa, áreas vulcânicas e cenários cinematográficos.

2- Gullfoss waterfall

Também conhecida como Golden falls. É uma imensa cachoeira localizada em um canyon, as suas águas vem de um lago glacial!!! Toda esta excentricidade ao poderia resultar em algo menos grandioso do que podemos ver. Estonteante! Sabe aqueles lugares em que não paramos de bater fotos? E todas elas parecem sair de um filme ou quadro perfeito… apaixonante.

 

3- Geysir geothermal area

A área onde ficam os Geysers está bem acima do nível do mar,  mais de 100m, então o caminho até lá é muito bonito, áreas ainda menos habitadas e claro, muita neve.

O famoso Geysir já não entra em atividade tão fácil. Porém seus semelhantes como o Strokkur hoje em dia é o mais famoso em atividade constante. Ele expele seu jato quentíssimo de água aproximadamente a cada 3 minutos e mesmo sabendo o que estamos esperando sempre provoca suspiros.

No caminho da volta pudemos finalmente apreciar a tão esperada aurora boreal, ou northern lights! E ainda bem que nosso guia foi muito legal em logo parar e nos deixar usufruir, já que depois mais perto da cidade é quase impossível de vê-la por causa das luzes, sem contar que naquela noite nevou muito, então não teríamos outra oportunidade.

Nossa foto não ficou o máximo, até porque é preciso algum tipo de lente especial para fotografá-la. E as luzes são dançantes, espetáculo difícil de registrar… mas ao vivo posso dizer que vale muito!!! E por fim em alguns momentos o melhor é registrar em nossa mente mesmo, para poder quardar estas imagens em um cantinho especial no coração…

Um pouquinho da aurora boreal
Um pouquinho da aurora boreal

Claro que há muito mais para se ver na região, mas como tínhamos que selecionar algumas atividades fiquei feliz com nossas escolhas. Adoramos o passeio e saímos realizados com todas as paradas e visitas. Recomendo o tour e quem tiver mais tempo ainda tem inúmeros outros passeios para as outras regiões menos populares,mas ainda assim deslumbrantes.

Com certeza se passássemos mais dias ou em uma próxima visita também conheceria os lados menos turísticos.

Blue Lagoon 2

Islândia – terra do fogo e gelo

Decidimos fixar nossa base na capital, Reykjavík. E de lá conhecer alguns pontos importantes (nem perto da maioria porque tem muito para se ver).

Compramos um vôo de Londres para Keflavík , que é o aeroporto internacional mais próximo da capital, cerca de 40 minutos . Já na aproximação percebemos o que nos aguardava: neve, muita neve por todos os lados…

Vista aérea
Vista aérea

Na chegada ao aeroporto contratamos um táxi ( há bastante ônibus transfer mas queríamos algo com horários mais do nosso jeito) que nos levou dali direto a Blue Lagoon e depois ao nosso hotel.

Esta parada já na chegada parece exótica, mas é o que s maioria das pessoas fazem, param lá na chegada ou volta para o aeroporto para aproveitar as distâncias. E como também não queríamos ficar só no vai e volta de ônibus ou taxi , optamos também por esta ordem.

Olha, não tem sofrimento nem trabalho algum em chegar lá direto com malas. Nós deixamos com nosso taxista Jón (pronúncia “ion”), mas a estrutura do local tem até guardador de malas. E oferece pacotes diferentes com toalhas, roupões, chinelos, etc.
O lugar é indescritível, pouco conseguimos mostrar com as fotos. Realmente faz jus a ser uma das 25 maravilhas do mundo. As águas são realmente azuis, o vapor é devido a diferença entre a água a 38ºC-40ºC e a temperatura externa -10ºC! E nevando!!! O fundo e as regiões ao redor com as pedras negras são o solo vulcânico ( esta mistura entre neve e solo vulcânico vista em todos os lugares é que traz o codinome do país, terra do fogo e gelo).


Assim que abrimos a porta da estrutura e avistamos estas águas quentinhas o frio quase se vai (digo quase porque só correndo para água mesmo para ficar tranquilos). Ali na água ainda fizemos uma mascara de tratamento facial de algas para rejuvenescimento, uma delícia. Difícil mesmo é criar coragem e vontade de sair da água!

 


Dali fomos a nosso hotel no centro de Reykjavík, a capital, que por sinal é a capital mais ao norte do mundo! Aproveitamos para passear pela cidade. A cidade é muito bonita e de fácil locomoção mesmo com a neve.

 

Passeamos pelo centro da cidade e visitamos a igreja luterana Hallgrímskirkja, a mais alta da islândia.

 

De lá de cima a vista da cidade é belíssima!


Os outros pontos turísticos, como eram uma pouco mais distantes, escolhemos conhecer com um tour. Assim poderíamos aproveitar melhor o tempo. Leia mais no próximo post, vale a pena ;)